Fevereiro / 2015

O Aquacen, Laboratório Oficial Central da Rede Nacional de Laboratórios Oficiais do MPA (Renaqua), instalado na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Belo Horizonte, participou, em fevereiro deste ano, de um teste de proficiência, ou seja, de aptidão, internacional, coordenado pelo Laboratório de Referência da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) para enfermidades de camarões.

O teste é feito com amostras enviadas pelo laboratório oficial da OIE, localizado na Universidade do Arizona, nos Estados Unidos, e consiste na detecção de diferentes vírus, bem como a ausência, nas amostras enviadas. O Aquacen obteve 100% de acerto para o diagnóstico das doenças, concordando com os resultados do laboratório de referência da OIE.

Além disso, o Aquacen foi capaz de emitir os resultados em apenas quatro dias úteis, o menor prazo entre os 21 laboratórios participantes.

É o segundo ano que um laboratório da Rede Nacional de Laboratórios do MPA participa desse teste e obtém 100% de acertos, o que reforça a confiabilidade e contribui para a visibilidade internacional de nossos laboratórios.

Confira a declaração do “Aquaculture Pathology Laboratory”

Diagnósticos precisos

“É uma vitória conseguirmos novamente 100% de eficiência em nosso segundo teste de proficiência internacional. Isso demonstra a qualidade e seriedade do trabalho que o MPA vem desempenhando na área de sanidade. O primeiro teste foi realizado em 2013, quando então havia menos de um ano do início das atividades da RENAQUA.” afirma Clemeson José Pinheiro da Silva, secretário de Monitoramento e Controle da Pesca e Aquicultura.

O próximo passo será iniciar a participação em ensaios de proficiência para as doenças de peixes e de moluscos bivalves. Também foi iniciada pelo AQUACEN uma parceria internacional com o Laboratório do Instituto Veterinário Nacional da Noruega, unidade de referência da OIE para enfemidades de animais aquáticos, dentro do programa chamado “Laboratory Twinning”.

“Todas essas ações elevam a confiança da comunidade internacional quanto ao controle sanitário realizado para os animais aquáticos no Brasil”, avalia o Ministro da Pesca e Aquicultura, Helder Barbalho.

 

Notícia reproduzida do site
do Ministério da Pesca e Aquicultura

Veja mais na seção Proficiência Internacional