O que é um teste de proficiência?

O teste de proficiência é uma ferramenta bastante eficaz para avaliar o desempenho da etapa analítica do laboratório através de comparações interlaboratoriais. A participação do laboratório neste tipo de ensaio é um dos mecanismos indispensáveis para avaliação da sua competência técnica.

Segundo o INMETRO, o teste de proficiência permite que os laboratórios participantes sejam avaliados quanto ao seu desempenho e monitoração contínua; obtenção de resultados confiáveis; identificação de problemas relacionados com a sistemática de ensaios; possibilidade de tomada de ações corretivas e/ou preventivas; avaliação da eficiência de controles internos; determinação das características de desempenho e validação de métodos e tecnologias; padronização das atividades frente ao mercado e reconhecimento de resultados de ensaios, em nível nacional e internacional.

A principal característica deste tipo de programa é indicar a exatidão das dosagens de um laboratório de referência, frente a um grupo de avaliação, através de comparações interlaboratoriais. O propósito do ensaio não é somente determinar a proficiência, mas também ajudar a melhorar o desempenho e determinar se os métodos utilizados são confiáveis e reprodutíveis. Um bom desempenho em ensaios de proficiência aumenta a credibilidade do laboratório e contribui, diretamente, para prevenir barreiras técnicas e facilitar o comércio internacional.

O processo consiste basicamente no envio, por parte de laboratórios de referência, de amostras cegas positivas e/ou não para os laboratórios participantes. Estes terão um tempo pré-determinado para reportar seus resultados e métodos utilizados e, a partir daí, serão avaliados e comparados a todos os outros laboratórios participantes. Toda a avaliação é feita de maneira confidencial e o relatório final emitido pode ser utilizado como pré-requisito para a certificação do laboratório naquele escopo.

 

Proficiência em diagnóstico de doenças de camarões

Oferecido pelo Aquaculture Pathology Laboratory (UAZ-APL), Department of Veterinary Science and Microbiology, University of Arizona, laboratório de referência da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), este ensaio, denominado “Ring Test”, é voltado para o diagnóstico de doenças de camarões marinhos. A cada laboratório participante é enviado um conjunto de 10 amostras de tecido codificadas, mas não identificadas, fixadas em etanol 95%. Dessas amostras deverão ser extraídos ácidos nucléicos que serão então utilizados nos testes moleculares de diagnóstico. Os seguintes patógenos estão presentes nas amostras: WSSV, IHHNV, NHP, TSV, YHV e IMNV. Uma amostra de tecido livre de patógenos também está incluída. O laboratório participante pode escolher entre realizar o teste para a detecção de todos os patógenos ou somente daqueles para os quais possui o teste diagnóstico já implementado. Os laboratórios têm sete dias úteis, a partir do recebimento das amostras, para retornar os resultados do teste ao UAZ-APL. O laboratório de referência fornece um relatório após a avaliação de todos os participantes contendo: avaliação dos resultados e se necessário, sugestões para melhorar a proficiência.

O AQUACEN participou do “Ring Test” em duas oportunidades. Em fevereiro de 2013, realizou seu primeiro teste de proficiência internacional, obtendo 100% de acertos no prazo de 4 dias. Em fevereiro de 2015, novamente, obteve 100% de acertos na detecção dos patógenos em somente 4 dias.

 

icone_pdfLink para o Resultado do Ring Test 2013

 

icone_pdfLink para o Resultado do Ring Test 2015

 

Proficiência em diagnóstico do vírus da anemia de salmão

Oferecido pelo Norwegian Veterinary Institute (NVI), Laboratório de Referência da OIE para o vírus da anemia infecciosa de salmão (ISAV). Este teste, denominado “Mini Ringtrial", consiste em diagnosticar a presença de ISAV em amostras obtidas de surtos em salmões do Atlântico. Um conjunto de 8 amostras não identificadas de tecido inativado, contendo ou não o patógeno, é enviado a cada laboratório. Os laboratórios têm sete dias úteis, a partir do recebimento das amostras, para retornar os resultados do teste ao NVI. O laboratório de referência fornece um relatório após a avaliação de todos os participantes contendo: avaliação dos resultados e se necessário, sugestões para melhorar a proficiência.

Em junho de 2015, o AQUACEN participou de um teste de proficiência e obteve 100% de acerto, diferenciando amostras positivas de negativas e, ainda, foi capaz de categorizar as amostras positivas como sendo a versão virulenta ou não do vírus.